Páginas

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Me sentido bem (Michael Bublé)

Pássaros voando alto
Você sabe como eu me sinto
O sol no céu
Você sabe como eu me sinto
A brisa soprando
Você sabe como eu me sinto
É um novo amanhecer
É um novo dia
É uma nova vida
Para mim
E eu estou sentindo bem

Peixe no mar
Você sabe como eu me sinto
Rio correndo livre
Você sabe como eu me sinto
Flor na árvore
Você sabe como eu me sinto
É um novo amanhecer
É um novo dia
É uma nova vida
Para mim
E eu estou sentindo bem

Líbelula no sol, você sabe o que eu quero dizer, não sabe?
Borboletas se divertindo, você sabe o que eu quero dizer
Dormir em paz quando o dia se acaba
É isso que eu quero dizer
E esse mundo antigo é um novo mundo
E um mundo destemido
Para mim

Estrelas quando você brilha
Você sabe como eu me sinto
O aroma do pinho
Você sabe como me sinto
Oh, a liberdade é minha
E você sabe como eu me sinto
É um novo amanhecer
É um novo dia
É uma nova vida
Pra mim

E eu estou me sentindo bem.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Humanidade

Eu estive procurando em espaços vazios
Por coisas sem sentido, ainda assim
Acreditei estar no caminho para algum lugar válido
Mas acho que não existe o que nos guie
Através do labirinto de nossas almas

Eu também procurei
Em locais improváveis
Corações infrutíferos
Mentes não adaptadas
De tanto preto no branco, o colorido se tornou anormal.
De tanta formalidade, se rebelar se tornou natural.
Não mais poetas na minha geração
Não mais heróis pra minha prole.

Apenas apatia
Complexidade na praticidade
E o humano pagando com a vida pra virar robô

É simplesmente complicado não tomar nosso presente como fátuo, onde conformados, seguimos a procissão da vida, com uma vela na mão que não ilumina nem meio metro a nossa frente, incapazes de darmos um passo pra lado, acendermos um lanterna e buscarmos uma nova diretriz.

Nascer, crescer, reproduzir e morrer.

Num dia futurístico cortaremos duas palavras dessa regra.
Você sabe dizer quais são?

domingo, 7 de novembro de 2010

I can see the sunrise.

Eu posso ver o sol nascer.
Se pôr e nascer.
E permanecer.

Mais claro que uma manhã, mais tocante que estrelas brilhantes em um céu de azul forte quase preto.

Eu não me importo com que esse céu não comporta.
Marte não me importa, Júpite ou mais.

Só onde toca o sol ao nascer, onde esfria ao céu poente. Noite, noite noite.

Pode ser loucura, mas tudo em que o sol toca se trans forma em ouro por alguns instantes, onde o sol toca, onde o sol toca, dentro de mim.

Aprecie o sol, sinta a luz suave da lua fria e as estrelas que vivas ou mortas reluzem ao seu redor. Aprecie o sol, a vida, a terra. Nascente, que nasce, poente que se vai mas volta. Volta. Igual. Imutável. Senão mais forte. Sol sol sol sol. Não a nota, o brilho.

Eu posso e quero ver o sol nascer.
Se pôr e nascer.
E permanecer.
Eu consigo contar os minutos que ele leva para desaparecer.