Páginas

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Não me perturbe.

Odeio coisas generalizadas.
Odeio a banalização das coisas que eu gosto.

Lembro que as pessoas me olhavam torto quando viam os livros que eu lia. Títulos como: A Última Vampira, A Hora das Bruxas, O Exorcista. Sim, muitos, MUITOS vampiros.

Agora?
Todo mundo acha graça nisso.

Lembro quando falavam pra mim que Muse era música de gente doida.

Agora?
Que vontade de xingar a tal da Meyer!

Mas tudo bem... Isso sempre acontece e eu sou mesmo uma pessoa ciumenta.
Não me leve a mal, eu até curto essa nova geração de vampiros romanticos, mas não me compare esse pseudo melo drama viral, que anda contaminando as mentes germinativas dos infatos-juvenis do século XXI, com os vampiros DE VERDADE como Jan Kman e Lestat. Isso é querer me matar de desgosto. É o mesmo que comparar KESHA com MADONNA. Não.

Ok... Isso não é um desabafo... Estou só comentando.

Sem textos hoje, só uma besteira que eu precisava expor.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Utopia Universe


Pra que eu um dia encontre
Talvez algo mais profundo
Em um planeta distante
Ou talvez em um novo mundo.

Eu bem que gostaria de dizer que estou muito satisfeita com a ordem das coisas, mas não. Nunca gostei muito de mentir, e apenas o faço porque é etiqueta indispensável a um ser humano. Temos tantas qualidades pejorativas, confuso? Sempre fui.
Mas não creio que seja esse o interesse maior. Não. O que eu sempre busquei e até hoje considero alvo mor da minha existência, é conhecer. Quero ver, sempre fui curiosa, quero sentir. Como não apreciar algo que nunca se provou? Como depreciar algo que se nunca tocou? Não existe essa coisa de pré conceito. Existe sim, preconceito. Argh! Odeio isso!
Acho que estou indo por caminhos complexos mas eu não me importo. Estou mesmo um labirinto hoje, onde eu mesma me perdi e nem me incomodo em procurar por mim. Posso encontrar algum minotauro ou, que Deus me guarde, alguns fantasmas revirados.
Aí vai uma lista de tudo o que eu desejo fazer em minha vida, antes que esta se acabe de vez:
. Conhecer tudo, até o que se não conhece;
. Falar todas as línguas do universe;
. Fundar um novo país socialista e anarquista onde tudo o que exista seja puro e amigo, um refugio;
. Destruir todo o mal;
. Construir pontes para todos os lugares do mundo;
. Derrubar todos os poderosos atuais;
. Educar;
. Modificar a ideia ocidental de bonito (magro(a), loiro(a), olhos claros);
. Ditar uma nova constituição que só possuirá uma lei, e esta será: Respeitai ao próximo como a si mesmo;
. Fazer tudo isso e me aposentar, jazer deitada em uma rede, vendo todas as coisas que eu sempre sonhei, realizadas, feliz, finalmente. Não mais pensarei em sair dessa terra se ela for um lugar onde todos tem as mesmas oportunidades, o mesmo carinho, o mesmo amor, a mesma compreensão para ser o que tiver que ser.

Não me leve a mal, isso é só mais uma utopia.