Páginas

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Me sentido bem (Michael Bublé)

Pássaros voando alto
Você sabe como eu me sinto
O sol no céu
Você sabe como eu me sinto
A brisa soprando
Você sabe como eu me sinto
É um novo amanhecer
É um novo dia
É uma nova vida
Para mim
E eu estou sentindo bem

Peixe no mar
Você sabe como eu me sinto
Rio correndo livre
Você sabe como eu me sinto
Flor na árvore
Você sabe como eu me sinto
É um novo amanhecer
É um novo dia
É uma nova vida
Para mim
E eu estou sentindo bem

Líbelula no sol, você sabe o que eu quero dizer, não sabe?
Borboletas se divertindo, você sabe o que eu quero dizer
Dormir em paz quando o dia se acaba
É isso que eu quero dizer
E esse mundo antigo é um novo mundo
E um mundo destemido
Para mim

Estrelas quando você brilha
Você sabe como eu me sinto
O aroma do pinho
Você sabe como me sinto
Oh, a liberdade é minha
E você sabe como eu me sinto
É um novo amanhecer
É um novo dia
É uma nova vida
Pra mim

E eu estou me sentindo bem.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Humanidade

Eu estive procurando em espaços vazios
Por coisas sem sentido, ainda assim
Acreditei estar no caminho para algum lugar válido
Mas acho que não existe o que nos guie
Através do labirinto de nossas almas

Eu também procurei
Em locais improváveis
Corações infrutíferos
Mentes não adaptadas
De tanto preto no branco, o colorido se tornou anormal.
De tanta formalidade, se rebelar se tornou natural.
Não mais poetas na minha geração
Não mais heróis pra minha prole.

Apenas apatia
Complexidade na praticidade
E o humano pagando com a vida pra virar robô

É simplesmente complicado não tomar nosso presente como fátuo, onde conformados, seguimos a procissão da vida, com uma vela na mão que não ilumina nem meio metro a nossa frente, incapazes de darmos um passo pra lado, acendermos um lanterna e buscarmos uma nova diretriz.

Nascer, crescer, reproduzir e morrer.

Num dia futurístico cortaremos duas palavras dessa regra.
Você sabe dizer quais são?

domingo, 7 de novembro de 2010

I can see the sunrise.

Eu posso ver o sol nascer.
Se pôr e nascer.
E permanecer.

Mais claro que uma manhã, mais tocante que estrelas brilhantes em um céu de azul forte quase preto.

Eu não me importo com que esse céu não comporta.
Marte não me importa, Júpite ou mais.

Só onde toca o sol ao nascer, onde esfria ao céu poente. Noite, noite noite.

Pode ser loucura, mas tudo em que o sol toca se trans forma em ouro por alguns instantes, onde o sol toca, onde o sol toca, dentro de mim.

Aprecie o sol, sinta a luz suave da lua fria e as estrelas que vivas ou mortas reluzem ao seu redor. Aprecie o sol, a vida, a terra. Nascente, que nasce, poente que se vai mas volta. Volta. Igual. Imutável. Senão mais forte. Sol sol sol sol. Não a nota, o brilho.

Eu posso e quero ver o sol nascer.
Se pôr e nascer.
E permanecer.
Eu consigo contar os minutos que ele leva para desaparecer.

sábado, 2 de outubro de 2010

Visões.

Eu vejo uma porta,
uma escada,
uma vida,
uma estrada.

Eu sinto um cheiro,
uma carícia,
um toque,
um beijo.

Eu quero um amor,
um sonho,
um abraço,
um senhor.

Eu tenho um amigo,
um amante,
um ídolo,
um ar distante.

Eu vejo uma porta,
uma escada,
uma vida,
uma estrada.

quinta-feira, 1 de julho de 2010


Eu poderia te chamar de muitas coisas, mas duvido que qualquer dessas palavras descreveria a importância que você tem pra mim.
Eu poderia dizer que te amo um milhão de vezes e, ainda assim, não expressaria tudo o que eu sinto por você.
Mesmo que eu gastasse toda a minha existência em busca de algo, ou alguém, que te substituísse em meu coração, seria em vão, pois há uma só forma nele, e é a sua.
Nem as estrelas do céu brilham tando quanto você na minha vida. Ou mesmo o sol a pino me aquece como seu sorriso. Também não há em toda a natureza beleza como seu amor.
De qualquer forma, você é sonho. Porque eu sonhei contigo e acabei confundindo o sonho com a realidade do meu amor.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Escarlate


Ele sentia o sangue correndo por entre os dedos. Fechou os olhos e apertou a faca nas mãos. Sentia também a doce sensação de prazer descendo por sua espinha. Sorriu pela primeira vez em semanas. Abaixou os olhos para a aquilo e não viu nada. Não se perguntava se o cadáver tinha família, ou sonhos, ou amores. Não lhe interessava a beleza morta dela. Apenas lhe importava se tinha um coração, e se este pulsava sangue em suas veias. Sangue que agora lhe pertencia. Como o de outras antes dela. Era isso o que realmente significava algo para ele.
O sorriso meio de lado não lhe abandonava os lábios finos, enquanto ele a despedaçava com a mesma faca com que a matara. Cortou-a em pedaços muito pequenos e pensou consigo que Hannibal adoraria degustar um ensopadinho daquilo. Permitiu-se uma leve gargalhada ao pensar nisso. Bem, pelo menos não havia perdido a capacidade de se entreter consigo mesmo. Algo lhe dizia que se humor melhoraria consideravelmente após aquela madrugada. Quando ficava muito tempo sem sua droga - o plasma vermelho que fedia a ferrugem -, era como se sua vida perdesse a cor, e tudo ficava cinza e turvo. Aquela droga era o lápis-de-cor, que possuía apenas uma, de sua existência. Entretanto, lentamente aquela vida se esvaía novamente, e por mais uma vez ele precisava buscar aquilo. Nunca hesitava. Uma vez que era sua necessidade mor possuir-lo, era o que ele mais queria, o que dava sentido a todo o seu ser...
Queimou as roupas dela, e depois de apagar sua existência como se nunca tivesse ocorrido, levantou o rosto e observou o sol que começava, muito devagar, a invadir o céu. Matando a escuridão com seus raios potentes e sobrepondo às estrelas, como se elas nunca estivessem estado ali. O sorriso se alargou quando o sol tocou seu rosto, como uma carícia ele sentiu seu calor nas bochechas geladas.
Tudo estava colorido de novo, pintado em escarlate.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Não me perturbe.

Odeio coisas generalizadas.
Odeio a banalização das coisas que eu gosto.

Lembro que as pessoas me olhavam torto quando viam os livros que eu lia. Títulos como: A Última Vampira, A Hora das Bruxas, O Exorcista. Sim, muitos, MUITOS vampiros.

Agora?
Todo mundo acha graça nisso.

Lembro quando falavam pra mim que Muse era música de gente doida.

Agora?
Que vontade de xingar a tal da Meyer!

Mas tudo bem... Isso sempre acontece e eu sou mesmo uma pessoa ciumenta.
Não me leve a mal, eu até curto essa nova geração de vampiros romanticos, mas não me compare esse pseudo melo drama viral, que anda contaminando as mentes germinativas dos infatos-juvenis do século XXI, com os vampiros DE VERDADE como Jan Kman e Lestat. Isso é querer me matar de desgosto. É o mesmo que comparar KESHA com MADONNA. Não.

Ok... Isso não é um desabafo... Estou só comentando.

Sem textos hoje, só uma besteira que eu precisava expor.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Utopia Universe


Pra que eu um dia encontre
Talvez algo mais profundo
Em um planeta distante
Ou talvez em um novo mundo.

Eu bem que gostaria de dizer que estou muito satisfeita com a ordem das coisas, mas não. Nunca gostei muito de mentir, e apenas o faço porque é etiqueta indispensável a um ser humano. Temos tantas qualidades pejorativas, confuso? Sempre fui.
Mas não creio que seja esse o interesse maior. Não. O que eu sempre busquei e até hoje considero alvo mor da minha existência, é conhecer. Quero ver, sempre fui curiosa, quero sentir. Como não apreciar algo que nunca se provou? Como depreciar algo que se nunca tocou? Não existe essa coisa de pré conceito. Existe sim, preconceito. Argh! Odeio isso!
Acho que estou indo por caminhos complexos mas eu não me importo. Estou mesmo um labirinto hoje, onde eu mesma me perdi e nem me incomodo em procurar por mim. Posso encontrar algum minotauro ou, que Deus me guarde, alguns fantasmas revirados.
Aí vai uma lista de tudo o que eu desejo fazer em minha vida, antes que esta se acabe de vez:
. Conhecer tudo, até o que se não conhece;
. Falar todas as línguas do universe;
. Fundar um novo país socialista e anarquista onde tudo o que exista seja puro e amigo, um refugio;
. Destruir todo o mal;
. Construir pontes para todos os lugares do mundo;
. Derrubar todos os poderosos atuais;
. Educar;
. Modificar a ideia ocidental de bonito (magro(a), loiro(a), olhos claros);
. Ditar uma nova constituição que só possuirá uma lei, e esta será: Respeitai ao próximo como a si mesmo;
. Fazer tudo isso e me aposentar, jazer deitada em uma rede, vendo todas as coisas que eu sempre sonhei, realizadas, feliz, finalmente. Não mais pensarei em sair dessa terra se ela for um lugar onde todos tem as mesmas oportunidades, o mesmo carinho, o mesmo amor, a mesma compreensão para ser o que tiver que ser.

Não me leve a mal, isso é só mais uma utopia.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Eu Prometo.



Você me pede juras de amor, mas eu não as acho válidas.
Prefiro promessas. Deus sempre promete, e cumpre. Então vejo a promessa como algo irrevogável, não só a palavra da boca, mas o compromisso do coração.
Por isso decidi apenas te prometer.
Te prometer que minhas palavras serão sempre sinceras.
E que meus atos serão demonstrações do meu sentimento por ti.
Não me acho grandes poetisa. Apenas escrevo o que me vem à mente.
Não é como escrevemos, mas sim sobre o quê nos expressamos.
Um bom assunto dá sempre um bom texto.
Você é um bom assunto.
E as palavras não são insuficientes. Mas mesmo assim eu as completo com ações. Com carinhos. Porém, elas falam tudo.
Eu sempre te falo tudo.
Não quero que existam segredos entre nós, pois estes funcionam apenas como muralhas, que mais cedo ou mais tarde caem, mas a distância, já definida, não tende a diminuir.

Eu prometo, que a lua sempre será mais bonita pra mim quando você estiver por perto.
E que o sol será meu pior inimigo, por me fazer encolher os olhos, e não lhe ver integralmente.
Eu quero prometer tanto, mas sinto medo de não ser fiel às minhas promessas. De esquecer.
Prometo nunca lhe magoar, me lembre disso.
Prometo nunca te fazer arrepender-se.
Prometo nunca prometer coisas que não intento cumprir.
Prometo lhe ser verdadeira, lhe amar e respeitar, na saúde e na doença... Ops, acho que esse juramento é só pra ocasiões especiais.
Mas meu bem, eu prometo.

Prometo, principalmente, que palavras não serão apenas palavras.

Desculpe, acho que falei demais.
Te adoro.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Saudades

A vida é feita de momentos, já dizia Wild. Muito sábio ele, confesso, mas ainda sim desconexo.
A vida não é feita apenas de momentos, mas de cheiros, toques, pessoas, movimentos.
Cada segundo desse tempo, já deixa um espaço em branco em nós quando se vai.
Nada nunca acontece da exata maneira que aconteceu antes.
Tudo muda sempre.
O teu sorriso nunca será o mesmo, por mais que expresse a mesma coisa.
As tuas palavras serão metamorfas, ainda que signifiquem o usual.
E eu nunca o verei, ou as escutarei como anteriormente.
Por mais que repetidos, diferentes.
Oh, sim, a vida é feita de momentos também, mas cada um é único com seu talho de sentimentos, lembranças que ficarão para sempre no nosso subconsciente.
E eu sinto falta delas.
Sinto falta de ti.
Ainda que eu te veja todos os dias, não suficientes, declaro.
Que momentos sem ti não são vida...
Sao apenas lembranças dos sorrisos que mudam e das palavras que flutuam.
São apenas saudades de ti.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Ladrão de Sentimentos

Hoje estou aqui, mas ontem estava lá, perdida em meio a sentimentos
Jogada no brilho do seu olhar.
Eu via o céu no seu sorriso, enxergava o sol no seu falar
Tudo seu era lindo
Tudo era pra se amar

Mas veio ele sobre mim
Como a escuridão vem sobre o dia
Cada momento que passamos juntos, meu bem
Me era perdido em agonia

Ele veio levando tudo
Cada lembrança, cada toque
Não mais me recordava seu cheiro
Não me era mais movida pela sua voz

Esse ser tão independente
Se faz por ele mesmo,vai e vem e leva tudo
O grito, Ladrão de sentimentos,
Por roubar minhas lembranças,
Mas alguns o chamam, Tempo.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Romance


Deixe que haja amor, nesse mar de perdidos.

Deixe que haja amor, nesse mundo de loucos.

Deixe que haja amor, nesse recanto de sentimentos.

Acredite em cada sorriso, em cada declaração.

Será verdadeira, eu juro.

Mesmo que a terra se parta em duas, eu juro.

As estrelas continuarão ali.

Elas são testemunhas, eu bem digo.

O bom é que você sabe, você tenta confiar em mim e isso me diz muito.

Deixe que haja amor.

Almas unidas em um só som bailam sobre as nuvens.

Mas isso que te digo, não se compara com o sorriso que eu amo, que ilumina tudo.

O céu se abriu para os amantes.

Que de romance muito cantam.

Deixe que haja amor.

Em todos os corações.

Deixa que haja amor, em mim.