Páginas

domingo, 28 de junho de 2009

Carta,





Olá.

Ou talvez eu devesse começar com "bom dia". Mas apesar de ser dia para mim, quem garante que será para você. Ou ao menos bom. Não tenho como dizer, então começo com o tradicional "olá".

Essa missiva é somente para te lembrar que estarei aqui. Sempre.

Você foi embora, deixando somente um vento frio onde antes era seu lado da cama.

O sol no horizonte me lembra, igualmente, que tudo chega ao fim. Asim como o "bom dia" é finito, assim é o amor, a vida, a história.

É verdade, você se foi e eu nada fiz para que ficasse. Mas achei que seria bom se você lesse algo, algo que talvez fisesse com que você visse que eu não era completamente indiferente à sua partida.

Desculpe por fingir que não me importava, e por muitas vezes, fingir tão bem que até eu mesmo acreditava.

Eu ainda te amo, ainda que não queira.
Tenha um bom dia.

Um comentário:

  1. nossa Bruna, muito bonito...dizer coisas assim exige muita coragem, e prova que você tem carater, parabens

    ResponderExcluir