Páginas

segunda-feira, 30 de março de 2009

Enquanto crio...

Vai aí uma coisa velha, que escrevi há trevas!
Enquanto isso trabalho em mais um dos casos de Arthure Colt!

Batidas.

Batidas. Batidas de um coração fraco. Lítio. Entorpecente. Qualquer coisa que me faça dormir. Dormir. Talves nunca mais acordar. Daqui há alguns anos... Por que não? Fechar os olhos... Dormir sem sonhar. Sonhos...
Sonhos, a banalidade de um espírito simples. Espíritos complexos e tontos, como o meu, só geram pesadelos. Revelações em uma palavra.
Amor...

- Pra que se ama?
- Para que um dia se diga: "Eu amei".
- O que é amar?
- É entregar a vida à um ser, que na maioria das vezes, nem se importa. É dar-se da cabeça aos pés, dormir desarmado no meio de uma guerra.
- O que é a vida?
- Vida?... É uma procissão sem fim de pessoas, que na maioria das vezes não permanecem, que não tem fim exato... E quando acaba, simplesmente, nunca teve algum sentido.
- O que tem sentido?
*Silêncio*
- Aí você quer demais de mim... Faça outra pergunta.
- O que são estrelas?
- São pontos de luz no céu... São pontos que Ele te dá pra traçar seu próprio caminho.
- Como aquelas revistinhas de desenho pra completar?
- Aham...
- E a lua?
- A lua... A Lua é o olho dos amantes... Que, na verdade, nunca amou.
- E o sol?
- É um bola de fogo... Única coisa que nos mantém aquecidos.
- Posso perguntar mais?
- Sim...
- O que é a Morte?
- Morte?
- Sim.
- Morte é o abismo onde a procissão da Vida cai.
- E acaba ali?
- Acho que sim...
- Que patético!
- Onde você vem aprendendo essas palavras?
- Eu leio!
- Humpf. Tá lendo demais.
- Mas não tem sentido...
- O que?
- Acabar assim.
- Lá no comecinho você me perguntou o que tinha sentido...
- E o que você disse?
- Ah! Volta lá e lê!
- Você não respondeu!
- E continuo sem saber a resposta.
-Não sei mais o que perguntar...
- Não pergunte mais nada. Agora, durma.
- Pra que?
- Simplesmente pra dormir...

Um comentário: