Páginas

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Ilusão


Pela janela do quarto
Lampejos de luz iluminam meu rosto
Nele uma expressão vaga
Na mente uma ilusão

No piano a melodia
Viajando nas notas perdidas
De uma alma sentida
Continuo na ilusão
Do seu sorriso

Sim
Eu
Vou

Quebrando barreiras
Descalça em um vestido branco
Noiva em desamparo
Na ilusão eu me restauro
No seu cheiro eu me perco
Novamente
Mas você me abraça
Seu toque tão real
A sensação de sua pele
No seu colo eu corro
Para a ilusão de seus lábios
Sorrindo...


3 comentários:

  1. Li primeiro e a impressão é a mesma,é um poema lindo!Adorei, tem profundidade e melancolia.Divino.Beijos Mordidos!

    ResponderExcluir