Páginas

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Trade (Henry Cavill - Foto)


Acho que é assim que o vejo em minha imaginação. O grande herói de minha alma, onde me refugío da mediocridade à minha volta.Meu amado Trade... O vampiro centenário que vaga em meus sonhos me mostrando qual caminho quer seguir pelas folhas sem par que abrigam as palavras que nascem de mim como um jorro... Acho que estou sendo poética por demais... Ou talves não... A verdade é que estou sendo Trade. Em sua confusão, onde ele se perde em todas as coisas que viu e viveu, leva à um nível inteiramente novo a expressão "estive lá, fiz coisas"!O modo como se preserva e ao mesmo tempo se lança aos poucos, hesitando sempre, e muitas vezes não querendo... Como seu coração se descola de si e se dá, sem pedir sua autorização, para Ela. Aquela que o domina de um jeito inteiramente novo... O domina sendo dominada... A presa e o calçador. O vampiro morto e a vampira mortal. Duas letras que mudam todo um universo... O coração dela bate, e o dele só bate por ela... Diana Cínara... Diana Deusa. Diana de Trade.

Um comentário:

  1. Olá Bruh!
    Amei carã!
    O Trade é um T!
    Bem que você falou!!
    Estou adorando o livro. Vê se corre com isso por que eu quero saber logo o final! haha
    Beijok'ss, Lecadôr.


    OBS.: Usei sua conta no Google pra comentar tá?
    ;*

    OBS².: Vê se muda essa senha porque é a mesma de quatro anos atrás!! E para de repetir ela em tudo quando é canto, maluca!

    ResponderExcluir